Exposição “Pinóquio: Uma bela arte”

foto divulgação

Uma boa pedida para os próximos dias é também a exposição “Pinóquio: uma bela arte”, até 18 de novembro no sesc Belenzinho.

A exposição é composta por um percurso de 9 instalações interativas desenvolvidas por diferentes criadores e que remontam à cenas clássicas da fábula escrita por Carlo Collodi entre 1881 e 1883, e publicadas originalmente em formato de novela, com o título La Storia di um Burattino (A História de uma Marionete) em um periódico infantil da época. Ao ser transformado em livro, em 1883, ganhou o nome que  tornaria famoso: “As aventuras de Pinóquio”. Em 1940 foi adaptado para o cinema pela disney, consagrando sua versão mais popular.

É bacana  diálogo entre literatura e arte. A instalação “sonho dourado” apresenta uma sala lotada de grandes bolas amarelas que precisam ser movimentadas para dar passagem ao público. As crianças se divertem jogando as bolas de um lado para o outro, entrando na estória e participand efetivamente da obra. Assim como a instalação “castelo de açúcar”, composta por cubos hexagonais de espuma  que simulam uma colméia a ser construída pelo público.

pinóquio, o sonho dourado

foto divulgação

A instalação “Memória, Entendimento e Vontade das Marionetes”, de Zaven Paré (Argélia, 1961), por sua vez, é encantadora e um tanto nostálgica. Um pouco macabra a mesmo tempo, como só os marionetes podem ser. Já a instalação “O peixe gigante”, que promete às crianças entrarem em uma baleia, o que seria sensacional, não é tão gigante assim e nem pode ser tocada (entrar, menos ainda), o que gera uma certa decepção nas crianças.

Outro ponto fraco é a falta de um fio narrativo que conduza o público pelas instalações, o que deveria ser feito pela instalação sonora “o som da história”, que reproduz diálogos do livro durante todo o trajeto expositivo, mas que em meio ao barulho de um dia cheio é impossível de ser ouvida. O fato das instalações serem relacionadas à obra original, bem mais complexa do que a clássica da Disney, dificulta um pouco a conexão com a fábula, e os educadores não ajudam muito. Em um dia cheio parecem estar ali mais para controlar o fluxo do que para tornar a exposição mais interessante.

Por isso, uma dica importante: Domingos ensolarados são péssimos dias para ir ao sesc Belenzinho fazer qualquer coisa, até mesmo visitar uma exposição do pinóquio. Há filas intermináveis para tudo, inclusive para a exposição. O que reflete na qualidade da visita, que tem seu tempo de interação controlado, excesso de gente e de barulho e falta de atenção por parte dos educadores. Fica chato para as crianças ter que interagir rapidinho, não poder voltar, ter que seguir o fluxo. Nos outros dias é bem vazio e muito mais tranqüilo e divertido.

Ah, e (re)contar a estória antes para as crianças é uma boa idéia! Certamente  a exposição ficará mais lúdica.

Conclusão: só pela brincadeira já vale a pena. Mas não vá em um dia lotado!

Para quem se interessar, há também diversas oficinas e contação de estórias integradas à mostra. Pena que estas ocorrem somente aos finais de semana e são bem cheias.

Para saber mais, acesse o site do sesc:  http://www.sescsp.org.br

Catálogo:

Catálogo exposição “pinóquio: uma bela arte”

Exposição Pinóquio: Uma Bela Arte

onde:  SESC Belenzinho (Rua Padre Adelino, 1.000, Belenzinho (SP) tel: (11) 2076 9772 – http://www.sescsp.org.br)
quando: até 18/11 – Terça a sexta, das 10h às 21h30; Sábados, das 10h às 21h.; Domingos e feriados, das 10h às 19h30.
quanto: grátis
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s