PRA LER: CRIC CREC PI PLOFT, de Kitty Crowther

CRIC CREC PI PLOFT - KITTY CROWTHER II

Era uma vez um sapinho que tinha medo da noite, que transformava em monstro cada barulho que ouvia. E se refugiava na cama dos pais em busca de proteção. Um sapinho fofo, pra lá de simpático, que assim como todas (ou quase todas) as crianças pequenas, se assustava com o desconhecido, aquele que não tem nome, nem forma, nem cor, como todos aqueles barulhos noturnos que desconhecemos a origem. Barulhos que assustam, causam insegurança, medo. Mas que revelada sua origem transformam-se em zonas de conforto e nos fazem rir de nossos antigos medos. Assim acontece com Jerônimo. E de Jerônimo todos nós temos um pouquinho. Ou um montão.

CRIC CREC PI PLOFT

Desde que meus  filhos ganharam este livro, este tornou-se um best seller aqui em casa, já tendo sendo lido e relido um trilhão de vezes, quase que diariamente. E o mais inacreditável é que, tão simpático e carismático é o Jerônimo, até eu me afeiçoei a ele. E de tão legal a história não me canso de contar. Nem mesmo quando meus filhos colocam a contação no modo repeat.

Mas recentemente passei a gostar ainda mais (será que dá?) do tal do livro. Tudo por causa de uma noite, como outra qualquer, mas diferente das outras tantas pelo simples fato de que estávamos dormindo fora de casa, em uma pousada no meio do mato, o que não é nada simples para uma criança de 2 anos. Principalmente quando esta acorda no meio da noite, num lugar estranho e sem a mãe ao lado. Choro. Mamãe abraça e tenta acalmar. Nada. Então mamãe se lembra do sapoletinho Jerônimo e quase sussurrando diz ao filho para prestar atenção em tal barulho. E depois em tal outro. E outro e outro. O filho mais velho acorda, quer ouvir também. Passamos uma boa meia hora em silêncio, ouvindo cada ruído noturno e tentando, quietinhos, adivinhar de onde provinha. Muitas divagações, abraços apertados,  e algumas conclusões depois, o choro já acalmado transforma-se em sorriso, os braços que envolviam o pescoço da mamãe se soltam e o MEU sapoletinho decide que “não precisa medo” e “não tem monstro, é só barulho de parassinho (como diz passarinho)”, como se tudo fosse incrivelmente óbvio.

Deitamos em silêncio e adormecemos juntos, ao som dos barulhos da noite. Todos nós, Jerônimos que somos.

CRIC CREC PI PLOFT
AUTORA/ILUSTRADORA : Kitty Crowther
TRADUÇÃO: Flávia Varella
EDITORA: Cosac Naify

kitty-crowther-scritch scratch dip clapote

SOBRE A AUTORA:

Kitty Crowther nasceu em 1970 na Bélgica e é uma consagrada ilustradora e autora de livros infantis, já tendo publicado mais de 20 títulos, em diversos idiomas. Seus livros geralmente tratam de temas delicados de uma maneira muito respeitosa e sutil, adentrando o universo infantil com muita suavidade e se fazendo uma presença pra lá de bem vinda. Seus outros livros publicados no Brasil são “Meu Reino” e “Meu amigo Jim”, ambos publicados pela mesma editora.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s